Category Archives: The Isley Brothers

The Isley Brothers Family

alb_mojo_presents_the_isley_brothers_87784

Tudo começa nos anos 30, o (Sr. Isley) O’K

elly, uma senhor que apesar de enorme e desajeitado tema  fala mansa e se mostra muito respeitável, quer muito ter vários filhos e torna-los artistas, um sonho que viria a se tornar realidade mais adiante.

Casdo com Sallye Bernice e foram morar em Lincoln Heights, um subúrbio de Cincinatti, Ohio.

Foram nascendo O’Kelly Jr., Rudolph, Ronald e Vernon, logo cedo o Sr. Isley iniciou os meninos no coral da igreja, uma habito muito comum nos anos 40, aprenderam a importância do canto e a entrega nas performances, em casa ouviam de tudo um pouco por influencia dos pais, decidiram criar o que todos conhecem, os The Isley Brothers, saíram pra se apresentar nos programas de televisão como calouros.

As influencias iniciais foram dos grupos de doo-wop que despontavam como sucesso dos anos 50.

Parecia tudo indo bem ate que um trágico acidente tirou a vida de Vernon, fora atropelado por um caminhão quando andava de bicicleta, neste período o Pai Isley estava em uma situação estranha, tinha dois filhos depois de 10 anos do nascimento dos primeiros Isley Brothers, foi quando após o acidente Sr. O’Kelly decidiu investir pesado nos filhos, uma forma de escape já que a perda do filho havia abalado a todos.

Shout Cover Isley Brothers

Em 1956, Sr O’Kelly morreu, no mesmo ano os irmãos decidiram ir para Nova York tentar a sorte em uma cidade grande, foram descobertos na rua por Richard Barrett, uma especial de caça talentos, havia encontrado em suas andanças artistas como Frankie Lymon and the Teenagers entre tantos outros, levou os meninos para estúdio, um sonho que quase virou um pesadelo, após 5 singles e nada de estourar, foi quando perceberam que não havia divulgação e decidiram mudar de gravadora, foram pra RCA, veia a ideia de gravar o primeiro single com o que chamavam de “uma coisa”, como eles chamam um parte do seus shows, aonde ficavam gritando e atiçando a multidão, típico dos cultos gospel, “shout!” (“grite!”), um jogo de palavras e gritos, virou um sucesso instantâneo, sabiam que precisavam de mais hits para conseguir algo maior o que não aconteceu tão cedo, mudaram para Nova Jérsei e trocaram de empresário, Bert Berns que alem de comandar o grupo era compositor e mais tarde criaria hits como: “Piece of My Heart” (gravada por Janis Joplin e Dusty Springfield) e “I Want Candy”, alem de ter um talento para descobrir outro artistas entre eles The Drifters.

98018

Bert Berns presenteou o grupo com “Twist and Shout” e com os Isley Brothers a faixa ganhou sua primeira versão o que logo viária a acontecer era a explosão na versão dos Beatles para “Twist and Shout” o que automaticamente levou os Isley a excursionar pela Inglaterra com um jovem pianista acompanho a banda, este jovem era Sir. Elton John.

Com a revolução causado por Beatles, apareceram varias bandas Rock In Roll uma curiosidade e velado era a diferença da cor da pele, os brancos tomaram conta do cenários e os negros tomaram lugar no bom e velho rhythm’n’blues, com exceção ao Mr. James Brown e The Isley Brother que na contramão não ficaram parados e foram a luta, montaram seus próprios shows e fundaram suas gravadoras, Brown comprou a King e Isley com T-Neck, com isto aflora Rudolph e Kelly, os mais velhos, passaram a investir nas estruturas e produzir.

Ronald finalmente liberou seu verdadeiro talento vocal, uma característica marcante da banda, sua voz.

jimi586Isley Brothers

Jimmy Hendricks  integrou a banda, tornando amigos dos brothers mais velho e influenciando com seus acordes genias, mais tarde seguiu carreia solo e mudou de nome, Jimi Hendrix e o rock e a guitarra nunca mais foi a mesma.

Apareceu a Motown, a principal gravadora negra nos anos 60, recebidos como estrelas como Marvin Gaye, Four Tops e as Supremes.

O primeiro sucesso foi “This Old Heart of Mine”, O segundo single, “Take Me in Your Arms (Rock Me a Little While)”, sem muita empolgação resolveram caminhar sozinhos e romperam com a gravadora.The Isley Brothers Isley Brothers  picture1  bett

Ernie e Marvin os caçulas, cresciam ouvindo as música que os irmãos faziam. Ernie à bateria, Marvin no baixo e o cunhado Chris Jasper ao teclado, resolveram ensaiar e entraram no mundo do Funk. Ronald viu um ensaio dos menores e resolveu cantar um nova musica sobre a base pesada do Funk, o resultado foi sensacional, “It’s Your Thing” titulo que seria o novo trabalho do grupo e pela antiga T-Neck.

Foi a partir deste disco que quebraram todas as barreiras, das fronteiras do Soul e Funk, logo em seguida outros artistas tambem conseguiram romper e dar sequencia no que James Brown havia iniciado nos final do anos 50, deste momento artistas como Isaac Hayes, Marvin Gaye, Stevie Wonder, entre outras lendas se firmaram no cenário mundial.

A transformação de um trio para um sexteto, mostrou que a transição aconteceu naturalmente na família Isley, e  o sucesso não parou mais, ate o titulo do disco em 1973 fez referencia a integração dos caçulas “3 + 3”, outros discos como Get Into Something (com a faixa-título, “Keep On Doin’” e “Freedom”), The Brothers: Isley (com “I Turned You On” e “The Blacker The Berrie”) e Brother Brother Brother (com a faixa-título, “Lay Away” e “Work to Do”).

Excelentes discos e muito sucesso durante as décadas de 50,60 e 70, até meados de 1985, quando o grupo tomou um choque com a saída dos três caçulas para lançarem o famoso e clássico dos bailes “Caravan of Love como Isley Jasper Isley”. Parecia o fim de uma união de longa data, com laços familares fortissimos e uma auto confiança de dar inveja a mauitos, ate que Kelly dormindo deixa a familia.

Em 1986 com a morte do primogênito Kelly, fez com que os Brothers se unissem novamente, já que a separação interferiu alem da banda chegando na família, Rudolph se dedicou a igreja e abandonou o cenário musical, os caçulas partiram para trabalhos paralelos. Mesmo longe da mídia, a familia Isley é uma referencia para muito artistas até hoje, passaram por varias mutações tanto familiares quanto de estilos, do doo-wop, Rock in roll, Rhythm and blues, Soul e Funk, mantiveram essência e o respeito a uma ideologia de vida!  “It’s your thing/ Do what you wanna do”.

Texto By Fhenso 27/07/2012

Share

Morre o músico Marvin Isley, ex-Isley Brothers

O baixista fez parte da melhor formação da lendária banda funk americana

281x21197

Marvin Isley, ex-baixista da lendária banda funk/soul americana The Isley Brothers, morreu neste domingo (6) em Chicago, nos Estados Unidos. As causas não foram informadas até o momento. Ele tinha 56 anos de idade.

A entrada de Marvin na banda dos irmãos mais velhos Ronald, O’Kelly Jr. e Rudolph ocorreu em 1973, quando o grupo já tinha 14 anos de estrada. Ele, o outro mano Ernie (guitarra) e o primo Chris Jasper (teclados) entraram juntos no time e ajudaram a banda a ganhar uma nova face.

A nova escalação dos Isley Brothers estreou no álbum 3+3, e se mostrou espetacular. Rapidamente, eles se tornaram uma das melhores bandas de funk e soul dos Estados Unidos, com direito a sucessos como Who’s That Lady, Fight The Power, For The Love Of You e Between The Sheets, só para citar alguns.

Em 1984, Marvin, Ernie e Jasper saíram para montar o trio Isley-Jasper-Isley, cujo maior sucesso é a cançãoCaravan Of Love. Ernie voltou aos Isley Brothers nos anos 90, enquanto Marvin partiu para outros trabalhos. Ele era considerado um dos melhores baixistas da música negra norte-americana.

——————————————————

2014936

CNN) — Marvin Isley, youngest member of the soulful Isley Brothers R&B group, has died from complications with diabetes, hospital officials said Monday. He was 56.
Isley passed away Sunday morning at the Seasons Hospice within Weiss Memorial Hospital in Chicago, Illinois, according to representatives at both facilities.
The original group formed in 1954 with the three eldest brothers Isley — O’Kelly Jr., Rudolph and Ronald — which recorded several singles, including “Shout,” “This Old Heart of Mine” and the Grammy-winning “It’s Your Thing.” Marvin Isley joined in 1973, when the group expanded to six performers.
The full group enjoyed massive radio airplay with lists of hits, including “That Lady,” “The Heat is On,” “Go For Your Guns” and “Fight the Power.”
The Isley Brothers were inducted into the Rock and Roll Hall of Fame in 1992. Marvin retired from performing five years later, and eventually diabetes led him to have both legs amputated.

Share

The Isley Brothers – Summer Breeze – Greatest Hits (2005)

summer breeze

A história dos Isley Brothers começa quando o chefe do clã Isley, um sujeito enorme e respeitável de fala mansa mas de objetivos bem definidos, chamado O’Kelly aproxima-se de Sallye Bernice em um encontro familiar, revela-lhe seu desejo de tornar-se seu marido e de dar-lhe uma tropa de filhos que se tornaria uma trupe de artistas. Vindo do emergente showbusiness, O’Kelly percebeu como poucos empresários o potencial da indústria de entretenimento no jovem século 20 e apostou a própria linhagem como estava certo. Precisava apenas encontrar a parceira correta. Naquele dia no meio dos assustadores anos 30 (que começara com uma falência financeira massiva e terminaria com uma guerra mundial), o patriarca Isley pousou o pesado olhar sobre a bela pequena e sabia que seu futuro estava começando. Mudaram-se para Lincoln Heights, um subúrbio de Cincinatti, Ohio.

E as crianças nasceriam. O’Kelly Jr., Rudolph, Ronald e Vernon entrariam no mundo da criação artística como muitos antes deles. Na igreja, foram apresentados não só ao gospel como à importância de se entregar à uma performance. Em casa, seu pai lhes alimentava com diferentes músicas, acostumando-os a todos os estilos para que retirassem o melhor de todos eles. Eram os Isley Brothers e logo estariam em programas de televisão ao lado de artistas como Dinah Washington, Erskine Hawkins e Nat King Cole. Inspirados no grupo Billy Ward and the Dominos, eram um quarteto vocal mirim que começava a fazer sucesso no circuito de doo-wop.

Mas algumas coisas fugiram dos planos do pai Isley. Primeiro foram os nascimentos dos caçulas Ernie e Marvin, uma década e meia após o nascimento da primeira safra. Depois veio a trágica morte de Vernon, atropelado por um caminhão quando andava de bicicleta. Finalmente, o velho O’Kelly previu que não estaria vivo para ver o sucesso dos filhos, para horror da família. Mesmo assim, fez com que seus filhos voltassem à vida artística mesmo após a morte do irmão, que havia suspendido suas apresentações.

Como havia previsto, O’Kelly morreu em 1956, o mesmo ano em que os irmãos decidiram embarcar para Nova York, tentar a sorte na cidade grande. Descobertos na rua por Richard Barrett (que havia descoberto artistas como Frankie Lymon and the Teenagers, Chantels, Crows, Little Anthony, entre outros sucessos da era pré-rock’n’roll), o trio foi contratado por George Goldner, que fez fama sobre os nomes encontrados por Barrett. Mas com os Isleys não seria tão fácil e o grupo gravou cinco singles que não deram em nada. Até que o próprio grupo sugeriu à sua nova gravadora (a RCA) que gravassem um número que fazia sucesso nos shows, chamado Shout. Não era nem uma música, era "uma coisa", como eles mesmos diziam. Atiçando a multidão a gritar "shout!" ("grite!"), a faixa se limitava a um jogo de pergunta e resposta feito entre artista e platéia, um número conhecido das missas gospel. Os Isleys apenas traduziram-no para o rock e tiveram um hit instantâneo.

Mas um só não era suficiente. Depois de alguns singles sem sucesso, o grupo voltou à estaca zero. Havia mudado-se em definitivo para Nova Jérsei, ao lado de Nova York, mas os discos não estavam vendendo. Até que caíram nas mãos do empresário Bert Berns, que mais tarde seria responsável pela autoria de hits como "Piece of My Heart" (gravada por Janis Joplin e Dusty Springfield) e "I Want Candy", além de descobrir talentos como o Them e os Drifters. Foi ele quem decidiu dar ao grupo um single que já havia gasto com o grupo Top Notes (numa versão produzida por um novato Phil Spector). Mas adaptá-los ao novo número era justo, afinal fora "Shout" uma das inspirações para "Twist and Shout" (a outra, claro, seria "The Twist", de Chubby Checker). Com os Isley Brothers, "Twist and Shout" ganhou sua primeira versão notável – mas não sua definitiva. Esta chegaria através de um novo grupo inglês que incorporaria hits dos jovens Isleys em seu repertório. Mas seria a versão dos Beatles para "Twist and Shout" um dos principais carros-chefe para a invasão da Beatlemania. O sucesso puxado pela explosão dos Beatles afetou quase todos os artistas que eles gravavam e logo os Isleys estariam na Inglaterra, excursionando com um jovem pianista que mais tarde passaria a atender por Elton John.

Mas enquanto estavam na Inglaterra, as coisas mudaram. Com a Beatlemania veio a invasão britânica e vários grupos como Rolling Stones, Animals e Yardbirds se debruçariam sobre a música negra americana ganhando o mercado branco e tomando lugar nas paradas de rhythm’n’blues. Como todos os artistas negros no começo dos anos 60 (à exceção louvável de James Brown), os Isley Brothers tiveram que se adaptar ao rock inglês e logo montariam uma banda. Mais do que isso: montariam seus próprios shows e gravariam seus próprios discos. Fundaram a gravadora T-Neck e logo um novo talento em Rudolph e Kelly afloraria. Juntos, os irmãos mais velhos seriam responsáveis por toda a estrutura por trás do conjunto, procurando músicos, conversando com empresários, fechando contratos e shows. Ronald foi liberado para mostrar seu verdadeiro talento vocal, com sua voz macia que se tornaria marca registrada do conjunto.

Foi Rudolph quem descobriu o jovem Jimmy Hendricks e o trouxe ao convívio dos Isleys. Além de talentoso, Jimmy provara ser praticamente um irmão do conjunto. Passou a morar com o grupo e se tornaria o vínculo entre os três mais velhos e os dois mais novos, provocando-os a pegar nos instrumentos dos irmãos quando estes não estavam vendo. Fazia tudo com a guitarra em punho e desde o início provava seu talento no instrumento. Singles como "More Over and Let Me Dance" e "Testify" (este último o primeiro lançamento da T-Neck) mostravam que o jovem guitarrista tinha um futuro e tanto pela frente. Largou o grupo e continuou sua carreira, voltando aos holofotes poucos anos depois, com seu novo grupo, Experience, e mudando a caligrafia de seu nome. Agora se chamava Jimi Hendrix e nem o rock nem a guitarra jamais seriam os mesmos.

Enquanto isso, os Isleys baixavam a guarda à toda poderosa Motown, a principal gravadora negra americana nos anos 60, que vinha há tempos paquerando o grupo. Foram recebidos como astros e tiveram tratamento de primeiro time ao serem entregues às mãos dos mesmos Holland-Dozier-Holland que haviam produzido hits para Marvin Gaye, os Four Tops e as Supremes. Havia se tornado questão de honra para a Motown produzir mais um hit para os Isleys e este foi "This Old Heart of Mine", uma baladaça no velho estilo da gravadora de Berry Gordy, em que Ronald deitou e rolou. Mas o grupo era a ovelha negra entre os ternos e vestidos claros da Motown, sequer moravam em Detroit e fugiam do padrão industrial que todo artista ali era submetido. O segundo single, "Take Me in Your Arms (Rock Me a Little While)", mantinha a qualidade mas não teve o mesmo sucesso comercial. Percebendo que seu destino fosse andar com as próprias pernas, nunca com a ajuda dos outros, mais uma vez os irmãos deixaram seu antigo patrão para tentar a sorte com as próprias asas.

Enquanto isso, Ernie e Marvin cresciam ouvindo não apenas a música que os irmãos faziam, como todo o resto. Quando o primeiro disco de Jimi Hendrix viu a luz do dia, ele deu um estalo em ambos caçulas que passariam a dedicar-se a ensaios secretos com Ernie à bateria, Marvin no baixo e o cunhado Chris Jasper ao teclado, que metiam as canelas adolescentes no pegajoso pântano do funk. Procurando opinião da família para uma música que havia acabado de compor, Ronald desceu ao porão e encontrou os três moleques numa tremenda jam session. A atmosfera o inspirou a cantar a nova música sobre a base pesada dos irmãos e o resultado foi a contagiante "It’s Your Thing", que batizaria o novo disco do grupo, o primeiro álbum pela ressuscitada T-Neck.

A música os colocou como pioneiros do funk, uma novidade que a música negra havia produzido nos anos 60 e que reinaria na década seguinte. O ano era 1969 e as duas principais gravadoras negras daquela década (a Motown e a Stax) mostravam que suas fórmulas estavam desgastadas. Era preciso reinventar-se e os Isley Brothers perceberam isso antes que todo mundo. Depois que os Isleys atravessaram a barreira entre a soul music e o funk, artistas como Isaac Hayes, Marvin Gaye, Temptations, Stevie Wonder, Booker T & the MGs, entre muitos outros atravessaram uma fronteira que poucos (James Brown, Sly Stone, George Clinton) haviam conseguido. O sucesso do agora sexteto (embora oficialmente ainda um trio) foi fundamental para que a música negra percebesse que era possível a transição para um novo gênero sem que o artista se descaracterizasse.

Mas era apenas o começo da era funk dos Isleys. Discos como The Brothers: Isley (com "I Turned You On" e "The Blacker The Berrie"), Brother Brother Brother (com a faixa-título, "Lay Away" e "Work to Do") e Get Into Something (com a faixa-título, "Keep On Doin’" e "Freedom") amadureceriam ainda mais o grupo, que aprofundava-se cada vez mais na alma humana, engajando-se numa política humanista que parecia ser uma conclusão de seu trabalho em família. Uma comunhão entre gêneros tão distintos quanto doo-wop, soul e gospel era encontrada por baixo do peso espetacular que a nova cozinha dava pro grupo. O grupo aceitou um desafio pessoal ao embarcar no disco Givin’ It Back, em que dava arranjos cobertos de melanina para hits de artistas brancos, como Neil Young ("Ohio"), Stephen Stills ("Love the One You’re With"), James Taylor ("Fire and Rain"), Carole King ("Nothing to Do But Today") e Bob Dylan ("Lay Lady Lay").

A participação dos novatos logo passou a ser importante o suficiente para comprometer o processo de criação e os irmãos mais velhos decidiram oficializar os outros três no grupo. Agora acompanhados pelo firme baterista George Moreland, os novos Isley Brothers agora eram seis elementos e a fusão das gerações foi orgulhosamente anunciada na capa e no título do álbum do grupo de 1973, 3 + 3. A nova formação trazia uma sutil mas importante mudança. Ernie havia deixado as baquetas para assumir a guitarra e o resultado deixou os irmãos mais velhos boquiabertos. Um improviso sobre a velha "Who’s that Lady?" (lançada pelo grupo em 1964) foi o suficiente para o grupo ter certeza de relançá-la, com o novo arranjo dado pela guitarra emborrachada de Ernie.

Os anos 70 continuaram com grandes discos, ajudando a criar a disco music competindo cabeça a cabeça com outros titãs da black music, o Earth Wind & Fire. "Competíamos pela atenção dos executivos de nossa gravadora. Competíamos contra o outro nas paradas. "That’s the Way of the World" contra "Fight the Power". "I Love Music" contra "For the Love of You". Era negócio sério", lembra Ronald no encarte da caixa. Os hits vinham em discos como Live it Up ("Midnight Sky", "Hello It’s Me" – de Todd Rundgren! – e a faixa-título), The Heat is On ("For the Love of You", "Make Me Say it Again Girl" e "Fight the Power"), Go For Your Guns (com "Voyage to Atlantis", "The Pride" e "Footsteps in the Dark"), Showdown (com "Groove With You"), Mission to Please, Harvest for the World e Between the Sheets (os três últimos sucessos com suas faixas-título). Até que o ano de 1985 assistiu o primeiro desfalque no grupo, quando os três caçulas saíram e lançaram o poderoso Caravan of Love como Isley Jasper Isley.

Novamente a morte uniu os irmãos, quando o primogênito Kelly morreu durante o sono em 1986. A morte de Kelly fez com que Rudolph passasse a se dedicar à igreja, deixando de lado o showbusiness. O som dos Isleys iria demorar para voltar a ter o brilho de outrora, mas este era polida por toda a nova geração do rap. Do Public Enemy ao Dr. Dre, os principais nomes do gênero da década de 80 deram ao grupo o respaldo artístico que a crítica dos anos 70 fingia não ver. O sucesso restaurado do grupo fez com que eles entrassem nos anos 90 como um dos primeiros nomes do Rock and Roll Hall of Fame, sendo indicados no mesmo ano que Hendrix, 1992.

Nada mal para uma família que passou por todas as etapas da história do rock quase incólume, tentando se adaptar e criando regras para cada novo gênero que o mercado parecia impor. Andando por conta própria, os Isleys cresceram ao apostar neles mesmos, num exemplo de autodeterminação e força de vontade contada por uma caixa com mais de três horas do melhor da música negra. "Até mesmo hoje, quando estou para cantar uma faixa, eu penso como será que Sam Cooke cantaria. Ou como Ray Charles deveria estar fazendo", explica Ronald, "Então eu percebo: ei, não preciso esperar por eles. Posso fazer eu mesmo". A síntese do pensamento de uma linhagem histórica, sangue bom que fez com que o mundo acompanhasse o ritmo que eles quisessem que o mundo dançasse. Afinal de contas, como eles mesmos disseram: "It’s your thing/ Do what you wanna do".

1. Summer Breeze
2. Harvest For The World
3. That Lady (Pt 1 & 2)
4. Between The Sheets
5. Highways Of My Life
6. Caravan Of Love
7. It’s A Disco Night
8. Love The One You’re With
9. For The Love Of You (Pt 1 & 2)
10. Don’t Let Me Be Lonely
11. Take Me In Your Arms (Rock Me A Little While)
12. This Old Heart Of Mine (Is Weak For You)
13. Behind The Painted Smile
14. I Guess I’ll Always Love You
15. If You Were There
16. Footsteps In The Dark
17. It’s Your thing

Part1
Part 2

Pass: fhensofunkmusic.blogspot.com

Share

The Isley Brothers 3plus3 1973

The Isley Brothers 3plus3 1973

33

1. That Lady (parts 1 and 2)
2. Don’t Let Me Be Lonely Tonight
3. If You Were There
4. You Walk Your Way
5. Listen To The Music
6. What It Comes Down To
7. Sunshine (Go Away Today)
8. Summer Breeze
9. The Highways Of My Life

Link Original

Share

The Isley Brothers Brother Brother Brother 1972

The Isley Brothers Brother Brother Brother 1972

brotherbrotherbrother

1. Brother, Brother
2. Put A Little Love In Your Heart
3. Sweet Season – Keep On Walkin’
4. Work To Do
5. Pop That Thang
6. Lay Away
7. It’s Too Late
8. Love Put Me On The Corner

Link Original

Share

The Isley Brothers – Harvest For The World 1976

The Isley Brothers – Harvest For The World 1976

harvest-297x300

1. Harvest For The World
2. People Of Today
3. Who Loves You Better
4. (At Your Best) You Are
5. Let Me Down Easy
6. So You Wanna Stay Down
7. You Still Feel The Need
8. Summer Breeze (Live)

Link Original

Share

The Isley Brothers – Harvest For The World 1976

harvest-297x300

The Isley Brothers – Harvest For The World 1976

1. Harvest For The World
2. People Of Today
3. Who Loves You Better
4. (At Your Best) You Are
5. Let Me Down Easy
6. So You Wanna Stay Down
7. You Still Feel The Need
8. Summer Breeze (Live)

Link Original

Share

The Isley Brothers 3plus3 – 1973

33

The Isley Brothers 3plus3 – 1973

1. That Lady (parts 1 and 2)
2. Don’t Let Me Be Lonely Tonight
3. If You Were There 4. You Walk Your Way
5. Listen To The Music
6. What It Comes Down To
7. Sunshine (Go Away Today)
8. Summer Breeze
9. The Highways Of My Life

Link Original

Share

The Isley Brothers .Brother. Brother 1972

brotherbrotherbrother

The Isley Brothers Brother Brother Brother 1972

1. Brother, Brother
2. Put A Little Love In Your Heart
3. Sweet Season – Keep On Walkin’
4. Work To Do
5. Pop That Thang
6. Lay Away
7. It’s Too Late
8. Love Put Me On The Corner

Link Original

Share